Vacina da gripe é segura e todos devem tomar?

Vacina da gripe é segura e todos devem tomar?

gripe

A gripe é uma doença causada por vírus, um vírus chamado vírus influenza. Na verdade, existem diversos subtipos de vírus influenza, então, para ficar mais fácil de entender, digamos que a gripe é causada por vírus de uma mesma “família” chamada influenza. Esses subtipos todos causam doença, por isso uma pessoa pode pegar gripe repetidas vezes.

Recentemente temos recebido muitas dúvidas em relação a vacina da gripe. Tem sido muito comum pacientes nos contarem que tomaram a vacina e alguns dias depois desenvolveram gripe e acham que a vacina foi a culpada. Será? Observamos uma progressiva perda de credibilidade da vacina da gripe e pensamos que seria interessante falar sobre isso.

A gripe é uma doença que é muito facilmente transmissível. Pega de pessoa a pessoa através de gotículas de saliva ou secreções nasais. Sendo assim, quando uma pessoa doente espirra, tosse, beija ou dá a mão suja de secreções ela pode transmitir a doença. Logo, para não transmitir e não pegar a doença, as pessoas devem lavar bem as mãos, tossir e espirrar nas mãos e depois lavá-las, não compartilhar materiais de uso pessoal como talheres, copos e garrafas e evitar contato íntimo com pessoas doentes.

Os principais sintomas da gripe são dor de garganta, nariz entupido e escorrendo, febre, mal-estar geral, dor de cabeça, cansaço e prostração. A doença na maioria das vezes é auto-limitada, ou seja, não necessita de remédios específicos, apenas repouso, hidratação e boa alimentação. Nós médicos costumamos medicar os sintomas principais para que o paciente fique bem. Receitamos medicações para dor, febre, para descongestionar o nariz e para melhorar a imunidade. A doença costuma melhorar em alguns dias.

Mesmo sendo, na maioria das vezes, uma infecção leve, existem casos de gripe mais graves, que cursam com muita prostração, acometimento respiratório e eventualmente evoluem para complicações mais importantes. É raro que isso aconteça, mas como muita gente tem gripe, esse raro acaba acontecendo com uma frequência indesejada. Logo, é importante que os médicos e as autoridades responsáveis busquem uma forma de diminuir o número de casos de gripe na população geral. A única forma realmente eficaz para combater a gripe é dar a vacina. Sem a vacina, os surtos certamente seriam muito maiores e mais impactantes.

Gripe: mas a vacina é segura?

Sim, a vacina é segura. Cientificamente falando, é impossível uma pessoa pegar gripe através da vacina, pois ela é feita com o vírus morto. Vírus morto logicamente não pode causar doença. Mas então porque muitas pessoas que tomaram a vacina tiveram gripe dias a semanas depois? Bem, provavelmente trata-se de uma falsa relação de causa e efeito. Veja, não é sempre verdade que, pelo fato de duas coisas estarem acontecendo ao mesmo tempo, uma seja causa da outra. Muita gente tem pressão alta e muita gente tem diabetes. Mas diabetes não causa pressão alta, nem vice-versa. Muita gente toma a vacina da gripe e muita gente tem doenças respiratórias nesta época do ano. A vacina é dada justamente na época do ano que se inicia a maior incidência da gripe, e a vacina não imuniza contra todos os subtipos de vírus nem para outras doenças respiratórias que ocorrem também nesta época do ano, como o resfriado. É comum pessoas virem ao nosso consultório pensando estar com gripe e nós diagnosticarmos outra infecção respiratória, como uma sinusite bacteriana, por exemplo.

Também pode ocorrer de a pessoa ter uma reação imunológica após receber a vacinação, com um pouco de febre, dor e mal estar geral, que tende a passar rapidamente. Pode haver confusão entre a reação imunológica e a infecção em si.

A vacina é segura. Todos podem tomar, exceto pessoas que tenham alergia à vacina, o que é muito raro. Atualmente, a vacina da gripe não é mais contraindicada para quem tem alergia a ovo. Ela está indicada para todos, mas especialmente para pessoas em situação de maior vulnerabilidade. Sendo assim, a rede pública aplica vacinas em grupos específicos, a saber:

  • Crianças de 6 meses a 5 anos de idade
  • Gestantes; puérperas, isto é, mães que deram à luz há menos de 45 dias
  • Idosos
  • Profissionais de saúde e professores da rede pública ou privada
  • Portadores de doenças crônicas (HIV, por exemplo)

Na rede privada, a vacina também está disponível, com preço variando em média entre 90 a 180 reais. Como o vírus muda muito ao longo do tempo, a vacinação deve ser repetida todos os anos.

“As informações aqui colocadas são de caráter informativo. Cada paciente possui suas particularidades e deve ser avaliado e tratado de forma individualizada. Se você tem algum problema de saúde, procure um médico especialista.”

Dr. Henrique Gobbo
CRM – 117688 SP