Surdez tem cura, mas você é responsável por ela

Surdez tem cura, mas você é responsável por ela

surdez tem cura

Surdez: É comum as pessoas se preocuparem com doenças do coração, da visão, do metabolismo e não se lembrarem da importância da audição para uma vida plena. Ouvir os sons da cidade, do vento, da natureza, das pessoas. É emocionante quando reabilitamos a audição de um paciente e ele imediatamente começa a perceber os sons que tinha perdido. “Nossa, esse barulho é do ar condicionado?” disse uma. “Agora ouço os pássaros pela manhã!” disse outra. “olha só o barulho do papel...” disse outra ainda na sala de consulta enquanto pegava a receita.
A audição precisa de cuidados. Segundo o CENSO de 2010, mais de 9,7 milhões de brasileiros têm algum grau de deficiência auditiva. Desses, 2,3 milhões apresentam surdez de grau severo. Cerca de um milhão são jovens até 19 anos.
Entre as principais causas da surdez está a exposição a ruídos. Os ruídos do dia-a-dia nas cidades grandes como a nossa podem algumas vezes ser excessivos para as estruturas internas dos nossos ouvidos. Ruídos acima de 85dB já são considerados uma ameaça. O ruído do trânsito pesado pode chegar a 90dB, fones de ouvido a 100dB, shows musicais e discotecas a 115dB. A lesão auditiva depende da intensidade do ruído e do tempo de exposição a ele. Quanto mais alto o som, menos tempo você deve ficar exposto.
Outras causas comuns de surdez são otites, excesso de cera nos ouvidos, doenças infecciosas virais, problemas de origem genética, labirintites e idade avançada. A surdez pode ser diagnosticada facilmente através de um exame auditivo.
Na infância, o cuidado com o diagnóstico precoce da surdez é essencial. Não é mais admissível que uma criança cresça sem o devido diagnóstico de uma possível surdez. Esse cuidado especial se justifica porque hoje nós conseguimos tratar praticamente todos os casos de surdez, mesmo os casos de surdez profunda. Infelizmente, para que os tratamentos deem certo é necessário que ele aconteça o mais rápido possível, pois o cérebro precisa aprender a ouvir quando ainda é criança. Com o avançar da idade, o cérebro que não ouviu não desenvolve a área da fala como deveria. É por isso que temos o programa de triagem auditiva neonatal em todo o país, para diagnosticarmos as perdas auditivas nos primeiros meses de vida e já iniciarmos a intervenção.
Muitas são as causas da surdez na infância. Doenças genéticas, infecções maternas durante a gestação, uso de alguns medicamentos e prematuridade estão entre as principais. A criança doente pode nascer surda ou ficar surda progressivamente nos primeiros anos de vida. O atraso ou falta de desenvolvimento da fala é o sinal mais importante que pode indicar perda auditiva na criança.
A prevenção e o diagnóstico precoces são a forma mais eficaz de combate à surdez. Não coloque cotonetes no fundo dos ouvidos, não fique exposto a ruídos altos ou por longos períodos, não use fones de ouvido com volume acima de 50% do total, vacine seu filho regularmente seguindo a orientação dos pediatras, acompanhe as orientações sobre vacinação contra rubéola em mulheres em idade fértil, faça o pré-natal de forma adequada, escolha um hospital com boa estrutura e bons médicos para o parto do seu filho, procure um médico especialista em caso de dúvida ou suspeita de surdez.
A surdez tem tratamento. Conseguimos tratar a surdez em seus diversos níveis, em qualquer idade, em uma ou duas orelhas, seja qual for a causa. Medicações, aparelhos auditivos, implantes auditivos ósteo- ancorados, implantes cocleares, para cada tipo e grau de surdez nós temos uma possibilidade de tratamento.
Por último, gostaria de tentar desmistificar o uso de próteses auditivas. O preconceito de algumas pessoas em relação à isso felizmente tem diminuído muitos nos últimos anos graças aos aparelhos mais modernos, eficazes e discretos que temos disponíveis nos últimos anos. Mesmo assim, acho importante reafirmar que as próteses auditivas têm papel importante no resgate da qualidade de vida das pessoas, além de melhorarem a cognição e reduzirem o isolamento social. Recomendamos fortemente que as pessoas não adiem o tratamento da surdez.

Em caso de dúvida, consulte um especialista.

“As informações aqui colocadas são de caráter informativo. Cada paciente possui suas particularidades e deve ser avaliado e tratado de forma individualizada. Se você tem algum problema de saúde, procure um médico especialista.”

Dr. Henrique Gobbo

CRM – 117688 SP