Rinite: o que você ainda não sabe sobre ela

Rinite: o que você ainda não sabe sobre ela

rinite

A rinite é muito comum e muito antiga. Os primeiros relatos de rinite na humanidade vêm da Grécia antiga com Hipócrates, o homem que é considerado o primeiro médico da história e pai da medicina moderna. Ele alertava seus discípulos a sempre levarem em conta as estações do ano ao avaliarem a saúde de seus pacientes (algumas rinites são mais comuns em determinadas épocas do ano).
A incidência de rinite está aumentando, principalmente a alérgica. Dados de 1996 no Brasil mostraram que cerca de 25% das crianças e adolescentes tinham rinite. Desde aquele ano, esse número vem crescendo lentamente. Acreditamos que a causa desse aumento seja os poluentes aos quais ficamos expostos cada vez mais. Fumaça industrial, fumaça de automóveis, queimadas, poluentes em geral, causam lesão na mucosa do nosso nariz e predispõe o aparecimento da rinite alérgica. Além disso, acreditamos também que estamos passando por alterações na nossa imunidade.  O menor contato com antígenos alimentares (comidas esterilizadas) e uso de antibióticos com frequência aparentemente têm causado uma mudança no nosso sistema imune e aumentando a incidência de rinite. É como se a imunidade fosse estimulada de forma inadequada e assim desenvolvesse mais alergias. Existe também uma polêmica em relação ao uso crescente de vacinas, mas não vamos entrar nessa discussão (apenas lembro que é preferível ter rinite alérgica a doenças como rubéola gestacional, paralisia infantil, hepatite e outras).
Mas nem toda a rinite é alérgica, existem diversos outros tipos. A rinite irritativa pode acontecer quando o paciente está exposto a odores fortes, produtos químicos ou ar de má qualidade. A rinite gestacional acontece em 30 a 40% das mulheres durante a gestação, por questões hormonais. A rinite do idoso se caracteriza por muita coriza (nariz escorrendo) principalmente ao ingerir alimentos quentes. A rinite medicamentosa acontece naqueles pacientes que frequentemente usam medicações nasais para desentupir o nariz, os vasoconstrictores nasais que “viciam” nesses medicamentos. Ela também pode ser de causa hormonal e começar aumentar, diminuir e até curar ao longo da vida. Existem muitos outros tipos, inclusive, uma que chamamos de rinite idiopática. A palavra idiopática quer dizer “sem causa aparente” e é usada quando os médicos não sabem direito o que está ocasionando o problema.
Coceira nos olhos, garganta e ouvidos também podem ser sinais de rinite. Além dos sintomas mais conhecidos como nariz entupido, coceira no nariz, espirros e nariz escorrendo, outros sintomas também são comuns, como coceira além do nariz, dor na face, diminuição do olfato e paladar e até sintomas auditivos como a plenitude aural (sensação de ouvido tapado que acontece pela menor ventilação do ouvido quando o nariz está entupido).
Mesmo conhecendo esse problema há tantos anos, ainda permitimos que a rinite cause um impacto significativo em nossas vidas. Estudos recentes apontam que pacientes com rinite crônica sem tratamento adequado podem ter uma perda significativa da sua produtividade no trabalho. O impacto dos sintomas mais comuns associados ao uso inadequado de medicações, dificuldades de respiração e até a qualidade de sono ruim podem causar uma diminuição de produtividade que, segundo alguns estudos, pode chegar a 40%. Nos Estados Unidos, foi estimado que o prejuízo anual causado direta ou indiretamente pela rinite é de 11 bilhões de dólares na economia. Isso é muita coisa, levando em conta as diversas opções de tratamento e prevenção das crises.
Se você tem alguns desses sintomas, procure um otorrinolaringologista. Cuide da sua saúde.

Em caso de dúvida, consulte um especialista.

“As informações aqui colocadas são de caráter informativo. Cada paciente possui suas particularidades e deve ser avaliado e tratado de forma individualizada. Se você tem algum problema de saúde, procure um médico especialista.”

Dr. Henrique Gobbo

CRM – 117688 SP